Warning: preg_match(): Allocation of JIT memory failed, PCRE JIT will be disabled. This is likely caused by security restrictions. Either grant PHP permission to allocate executable memory, or set pcre.jit=0 in /home/logg2l/public_html/wp-includes/load.php on line 46 tecnologia – G2L Logistica

Desvendando a Torre de Controle G2L

Por Redação 

Imagine uma operação onde cada movimento é meticulosamente planejado e executado, onde a tecnologia não apenas facilita, mas revoluciona cada etapa do processo. A roteirização e monitoramento tornam-se a chave para a visibilidade e previsibilidade das atividades logísticas, elementos fundamentais para otimização e eficiência operacional. E se você está por dentro das tendências logísticas, sabe bem que este já não é um cenário utópico. 

A torre de controle logístico oferece uma visão panorâmica e detalhada de toda a operação logística. Embora as funcionalidades de uma torre de controle não sejam novidades para quem já atua na área logística nas últimas décadas, nesta publicação abordaremos o que há de diferencial e inovador na Torre de Controle da G2L. 

Como um centro nervoso, cada movimento é cuidadosamente monitorado e otimizado em tempo real, desde a localização das cargas até os dados de Gestão de Riscos, como o comportamento dos motoristas nas estradas. 

Como funciona nossa Torre 

  • Formatação automática das cargas: adeus às dores de cabeça causadas pela otimização de espaço nos caminhões. A Torre de Controle G2L é capaz de formatar automaticamente as cargas, fracionadas ou não, para todos os tipos de veículos, garantindo que todo o espaço seja aproveitado.  
  • Posicionamento em 3D das cargas: não se trata apenas de encaixar mercadoria em um caminhão. A Torre de Controle leva a otimização a outro nível, considerando peso, compatibilidade entre os materiais e até mesmo o equilíbrio do peso nas carretas, mitigando riscos de tombamento. Tudo isso através de um avançado posicionamento em 3D das cargas. 
  • Roteirização inteligente: a Torre de Controle G2L seleciona as rotas com base em critérios rigorosos de segurança, garantindo não apenas a entrega pontual, mas também a integridade dos motoristas e das mercadorias. 
  • Monitoramento on time e online: graças ao acompanhamento em tempo real, os gestores têm acesso às previsões e alertas de entrega atualizadas. 
  • Controle efetivo dos motoristas: desde o controle das jornadas de trabalho até o monitoramento do comportamento na estrada, a Torre de Controle garante que os motoristas estejam sempre operando com segurança e eficiência. 
  • Câmeras 360º: com uma visão completa do interior e ao redor dos caminhões, as câmeras 360º fornecem alertas instantâneos de possíveis riscos de acidentes, garantindo a segurança de todos na estrada. 
  • Monitoramento interno da cabine: Até mesmo os movimentos dentro da cabine são monitorados de perto, com câmeras identificando possíveis distrações, fadiga ou sonolência por parte dos motoristas, garantindo uma viagem segura e sem contratempos.

Benefícios e resultados 

Os benefícios e resultados proporcionados pela implementação da Torre de Controle G2L são notáveis. Com sua integração inteligente de tecnologia e processos, os clientes podem esperar uma série de vantagens tangíveis, como: 

  • Aprimoramento da eficiência operacional, resultando em processos mais ágeis e produtivos. 
  • Redução significativa de custos operacionais, tanto em termos de tempo quanto de recursos financeiros. 
  • Aumento da segurança nas estradas, com monitoramento em tempo real e identificação proativa de potenciais riscos. 
  • Garantia de satisfação do cliente, assegurando entregas pontuais, precisas e transparentes, que fortalecem a confiança e fidelidade do cliente. 

Esses benefícios combinados otimizam as operações logísticas e contribuem para uma experiência global aprimorada, tanto para as empresas quanto para seus clientes. 

Portanto, a Torre de Controle G2L não é apenas uma peça de tecnologia, mas um símbolo de inovação e excelência na gestão logística. Ao reunir o poder da roteirização inteligente e monitoramento detalhado, ela transforma desafios complexos em soluções simples e eficazes.

Cada vez mais, investir em tecnologias como esta não é apenas uma opção, mas uma necessidade. É o caminho para se destacar no mercado, garantindo operações logísticas mais eficientes, seguras e alinhadas com as expectativas dos clientes. 

Quer saber mais? Estamos abertos a receber visitas em nossa Torre de Controle, em São Paulo. Venha falar com nosso time e conhecer com mais detalhes o que podemos oferecer para redefinir a eficiência operacional.

Gostou deste conteúdo? Compartilhe e nos siga nas redes sociais, sempre como @logisticag2L.

Panorama da Gestão Logística na Atualidade 

Por Prof. Manoel de Andrade e Silva Reis – FGV 

A logística tem se tornado cada vez mais um fator estratégico para o bom desempenho dos negócios de um país, de sua competitividade internacional e da competividade das organizações. 

Sua evolução depende de fatores essenciais como a infraestrutura física de transportes do país – essencial para a utilização adequada e equilibrada dos diversos modais de transporte -, bom comportamento de sua economia, redução da burocracia, custo dos combustíveis, racionalização e redução dos impostos, simplificação dos controles nas fronteiras interestaduais, além de políticas ambientais, sociais e de governança (ESG). 

A implementação efetiva de muitos desses elementos está intrinsecamente ligada às decisões tomadas pelos três níveis de governo, pelo Congresso Nacional e pelo Judiciário. Nesse contexto, é imperativo que o setor privado intervenha de maneira proativa e organizada, buscando facilitar a concretização dessas medidas em prazos apropriados. 

Em termos de infraestrutura física de transportes, o Brasil ocupa no mundo uma posição não condizente com seu porte como país, o que é um contrassenso, tendo em vista que nossa economia tem, nos últimos anos, se situado entre a 8ª e a 10ª economia do mundo e a infraestrutura de transportes do país situa-se no entorno da 70ª posição. 

A matriz brasileira de transporte de cargas conta com a seguinte participação aproximada dos diversos modais de transportes: rodoviário 61%, ferroviário 20%, cabotagem 12% dutoviário 4%, fluvial 2%, aéreo 1%, segundo dados da CNT. Uma alta participação do rodoviário, cuja rede é ainda insuficiente e em grande parte de baixa qualidade. 

Em comparação, a matriz de transportes dos Estados Unidos tem: rodoviário 31%, ferroviário 37%, aquaviário 10% e outros 22%. É notável a diferença expressiva com uma grande participação do ferroviário. 

No Brasil, a pouca utilização do ferroviário se explica pela baixa disponibilidade de linha, totalizando aproximadamente 30 mil km (excluídas as linhas destinadas ao transporte urbano). Essa restrição está prestes a ser superada com a promulgação da Lei nº 14.273/2021, que agora possibilita às empresas solicitar diretamente ao governo federal autorizações para a construção de ferrovias em todo o país, rompendo com a antiga necessidade de participar exclusivamente de leilões conduzidos pela ANTT. 

Fatores direcionadores 

Dentro deste contexto, há diversos fatores que podem ser úteis para os profissionais e empresas de logística no Brasil e seus usuários. 

  • E-Commerce: Atualmente o e-commerce no Brasil tem sido utilizado de forma extensiva, responsável por 42% do comércio online na América Latina. Profissionais do e-commerce e da logística precisam acompanhar a evolução das tendências para melhor escolha nas tomadas de decisão. 
  • Políticas Ambientais, Sociais e de Governança (ESG): Sigla, em inglês, que significa environmental, social and governance, e corresponde às práticas ambientais, sociais e de governança de uma organização. De forma resumida, a ESG serve como parâmetro para orientar as empresas na aplicação dos critérios ambientais, sociais e de governança corporativa, que podem trazer diversos benefícios para a percepção de valor das empresas operadoras e usuárias de logística. Empresas, governos e pessoas serão crescentemente cobrados para exercer a prática do ESG. 
  • Logística como Serviço (LaaS – do inglês Logística as a Service): A logística tornou-se uma capacidade vital para as empresas e tem custos elevados, especialmente em virtude das necessidades de investimentos. A terceirização das operações logísticas por usuários, para empresas confiáveis e competentes exige controle, mas permite a rápida atualização dos processos operacionais, praticamente sem investimentos. 
  • Transporte de Longa Distância e Última Milha: O transporte de longa distância é em geral feito por veículos de maior porte (carretas, trens, embarcações marítimas ou fluviais), buscando reduzir os custos do transporte pelo grande volume transportado. Já o transporte final ao cliente, normalmente designado “última milha”, é realizado por veículos de menor porte, e corresponde a um custo por unidade de carga, em geral superior ao custo unitário do transporte de longa distância. 
  • Crescimento do Setor de Transportes x Crescimento da Economia: Uma informação importante é que na medida que a economia cresce 1%, o setor de transportes cresce 2%, servindo isso como referência para prestadores de serviço logístico, no tocante à gestão de suas frotas e capacidades logísticas. 
  • Logística em Tempo Real e Torre de Controle: A principal providência para o bom andamento do processo logístico de uma empresa é aumentar a visibilidade de toda sua cadeia de abastecimento, o que tem sido possível através do conceito de Torre de Controle, já utilizado por diversas organizações. De maneira prática, a torre de controle é uma central de integração que reúne e dá acesso, em tempo real, às informações das operações de uma empresa e permite a visualização e o controle das principais atividades de uma cadeia de abastecimento. 
  • Logística 4.0: A logística 4.0 é a automação e o uso da tecnologia dentro de todas as etapas que compõem a logística. Com softwares e tecnologias que auxiliam cada parte da cadeia de abastecimento, a logística 4.0 oferece aos profissionais dessa área a chance de automatizar seus processos e economizar tanto recursos físicos quanto financeiros. 
  • SLA (Service Level Agreement) – Acordo de Nível de Serviço: O Acordo de Nível de Serviço pode ser definido como um documento responsável por formalizar termos de serviço e, quando bem aplicado, garante não só uma operação mais efetiva, como também um relacionamento mais saudável com clientes e fornecedores da sua empresa. O SLA transmite segurança na execução dos acordos e serviços, tanto para o contratante quanto para o contratado, garantindo a transparência e o cumprimento de tudo que foi acordado. 
  • Gestão de Riscos: O tema riscos vem ganhando importância crescente, tendo em vista que gestores são cada vez mais pressionados para melhorar a eficiência de suas cadeias de abastecimento, fazendo os materiais fluírem de forma rápida e a baixo custo, o que induz a criação de novos métodos que tendem a aumentar a vulnerabilidade das cadeias. De maneira geral, esses gestores têm que lidar constantemente com atrasos em entregas, acréscimos de preços, incidentes internos nas organizações, acidentes em rodovias e congestionamentos de tráfego, desastres naturais e uma série de outras ocorrências. Muitos eventos podem afetar o desempenho das cadeias de abastecimento longas e complexas e esses eventos inesperados caracterizam os riscos.  A Gestão de Riscos na Cadeia de Abastecimento é a função responsável por fazer sua gestão. 
  • Resiliência: Resiliência é a capacidade de reagir adequadamente em situações difíceis ou de fontes significativas de estresse. Na prática, significa que diante de uma adversidade, a pessoa utiliza sua força interior para se recuperar com leveza e sabedoria. Este conceito é essencial na gestão empresarial moderna, que traz no dia a dia momentos de tensão de várias origens. 

Em suma, a gestão logística contemporânea revela-se como uma trama intricada, onde fatores como infraestrutura, economia, ESG, tecnologia e resiliência se entrelaçam para moldar o cenário. A resiliência, inerente à natureza do setor, assume papel crucial em meio a adversidades. Que este panorama inspire reflexões e ações, impulsionando a busca por soluções inovadoras que promovam a eficiência e a sustentabilidade na gestão logística, contribuindo para o progresso econômico e social. 

Espero que este conjunto de conceitos em logística e fatores direcionadores sejam uma inspiração para você, leitor. 

Quem é Manoel Reis  

Atua na FGV Projetos, uma entidade da Fundação Getúlio Vargas que presta consultoria a empresas e governos, nas mais diversas áreas. Manoel Reis é consultor e professor de Logística e Supply Chain. Engenheiro Naval e Mestre pela Escola Politécnica USP e Ph.D pelo MIT. 

Gestão de Riscos e Eficiência Operacional

Jaqueline Moraes 

No cenário altamente competitivo do mercado de logística, onde a busca incessante pela excelência operacional e uma gestão eficaz de riscos são imperativos para o sucesso, destacam-se as empresas que conseguem incorporar esses princípios em sua cultura empresarial.  

Companhias que tratam a mitigação de riscos não apenas como uma tarefa reativa, mas também preventiva. Investindo em tecnologia, pessoas, processos e análise de dados, é possível estabelecer parâmetros rigorosos de segurança que não apenas detectam irregularidades, mas as previnem.  

Neste artigo, vamos abordar um pouco melhor o assunto e usarei a minha experiência na G2L, onde atuo como Coordenadora de Gerenciamento de Riscos desde 2022, para exemplificar a relevância da sua empresa tratar deste tema como prioridade. 

Vamos mergulhar nos princípios e práticas que transformaram a G2L em um exemplo de prevenção de riscos e excelência operacional – no último mês de agosto, por exemplo, houve zero ocorrências de roubo de cargas, mesmo com o grande número de viagens ao atender regularmente 79% das cidades brasileiras. 

O compromisso com a segurança se estende às 25 filiais distribuídas pelo Brasil, onde o treinamento contínuo, a tecnologia e o feedback são valorizados como ferramentas essenciais para aprimorar a operação. 

Tecnologia potencializada por uma cultura de segurança 

Enquanto muitos consideram apenas a tecnologia de ponta como a solução definitiva, entendo que a gestão de riscos vai muito além disso. Embora sua frota conte com equipamentos novos e tecnologia de última geração, por exemplo, o foco na manutenção preventiva, no suporte ao motorista e no planejamento das viagens são algumas ações igualmente relevantes para mitigar riscos. O mesmo vale para outras áreas de gestão. 

Na G2L, contamos com uma Torre de Controle e toda nossa frota é composta por equipamentos novos com a mais atual tecnologia embarcada, porém os índices não dependem somente disso. Além das ações já citadas de manutenção preventiva, suporte ao motorista e planejamento das viagens, realizamos o valioso compartilhamento de conhecimento e treinamento contínuo com equipes e motoristas.   

Com isso, dia após dia, solidificamos uma cultura de segurança, que vêm apresentando números muito sólidos e reconhecidos tanto na organização, quanto aos nossos clientes. Isso em respeito não somente ao número de ocorrências, mas em relação também à redução nos prejuízos. 

Como nossa operação hoje ultrapassa 20 mil viagens mensais, temos uma recorrente demanda por novos motoristas e, nestes casos, a redução nas ocorrências em suas primeiras viagens foi de 60%. Isto é fruto de um trabalho conjunto com as áreas de gerenciamento de risco, operações e segurança viária.  

Neste sentido, a gestão de risco começa muito antes do embarque, fidelizando parceiros e motoristas que estejam alinhados com a visão da empresa sem que isso diminua a capacidade de atendimento aos clientes. 

Resultados Sólidos 

Em relação ao roubo de cargas, tivemos uma diminuição de 80% nas ocorrências, comparando o ano presente com o mesmo período de 2022. Sendo o mês de agosto deste ano um case de sucesso, com nenhuma ocorrência de roubo de cargas. 

A manutenção periódica dos processos, aplicação de treinamento, reciclagem e briefing tanto das equipes internas e dos motoristas parceiros, contribuiu significativamente para evitar riscos de roubo em nossas operações. 

Neste caso, ações em pontos focais como estudo in loco nas regiões de maior recorrência, por exemplo, também foram tomadas. Porém também realizamos muitas ações sem gerar custos adicionais, como por exemplo mudança no horário de rodagem e um novo plano de rota. 

Investindo em Prevenção 

A inserção de postos avançados em unidades de alto risco fortaleceu ainda mais a prevenção de sinistros e roubos de cargas. A criação de uma célula de monitoramento na matriz da G2L permitiu a tomada rápida de decisões e uma investigação interna que resulta em melhorias constantes. 

Com a redução da sinistralidade, além de reduzir custos em seguro, temos condições e coberturas para que nosso time de negócios tenha melhor margem para negociar novos embarcadores, atendendo a qualquer tipo de segmento e recebendo apoio do Corretor e da Seguradora no alcance dos objetivos G2L. 

A história de sucesso da G2L não é apenas uma lição sobre a gestão de riscos e eficiência operacional; é um exemplo inspirador para todo o setor. É um case de como o compromisso com a prevenção, a inovação e a colaboração podem transformar uma empresa em um líder de mercado.

À medida que enfrentamos desafios contínuos na logística, a tendência é que veremos esta abordagem sendo aplicada cada vez mais nas operações.

E qual a sua opinião sobre esse assunto? Interaja conosco nas redes e acompanhe nossos outros conteúdos. Estamos nas principais mídias sociais, sempre como @logisticag2l! 

Se você gostou desta publicação, compartilhe para que mais pessoas possam ver! 

Do armazém ao destino: Integração de fluxos logísticos e tecnologia otimizando a cadeia

Por Mauricio Leonel | 

A logística desempenha um papel crucial na economia, permitindo que empresas entreguem produtos com agilidade e eficiência. Neste sentido, a integração de fluxos logísticos e tecnologia avançada se tornaram essenciais para otimizar a cadeia de suprimentos, do armazém ao destino.

A harmonia dos fluxos logísticos, desde a aquisição até a distribuição, reduz ineficiências, custos e agiliza operações. Essa sinergia se estende a parceiros externos, impulsionada por tecnologias como IoT e análise de dados avançada.

Neste artigo, destaco como essa integração está moldando o futuro da logística e de que forma impulsiona a eficiência operacional em toda a indústria.

Tecnologia: o pilar da Otimização Logística

O surgimento de soluções inovadoras, como sistemas avançados de gerenciamento de transporte, rastreamento de cargas em tempo real, inteligência artificial e análise preditiva de dados, tem se mostrado um divisor de águas para elevar a visibilidade e gestão sobre as operações logísticas.

A incorporação destas tecnologias capacita uma tomada de decisão intrinsecamente ágil e precisa, arquitetando a capacidade de detectar obstáculos e, igualmente importante, identificar oportunidades de otimização ao longo da extensa cadeia de suprimentos. A inteligência artificial, por exemplo, pode vasculhar volumes massivos de dados, extraindo insights que orientam desde a alocação de recursos até a roteirização ideal.

Ao embarcar nesse mundo tecnológico, as empresas não somente desvendam novas camadas de eficiência, mas também desfrutam de uma posição mais robusta no que tange à resiliência da cadeia de suprimentos.

A capacidade de prever tendências e se adaptar proativamente a mudanças no ambiente operacional proporciona uma grande vantagem competitiva, solidificando a tecnologia como uma importante aliada rumo à excelência logística.

Reduzindo as emissões de carbono

Entre os desafios urgentes da logística contemporânea, destaca-se a busca pela sustentabilidade em todos os seus processos. Empresas comprometidas estão ativamente engajadas na redução das emissões de carbono, promovendo a otimização de suas operações em prol da ecoeficiência.

A integração inteligente dos fluxos logísticos abre portas para um planejamento de rotas notavelmente mais eficiente, mitigando deslocamentos desnecessários e, por consequência, conferindo uma significativa redução na pegada de carbono resultante das operações.

Combinada à adoção de tecnologias ecologicamente responsáveis, como veículos elétricos e a integração de fontes de energia limpa e renovável, a logística surge como um protagonista na construção de um cenário mais ecologicamente equilibrado.

Este conjunto de medidas não somente atenua o impacto ambiental das atividades logísticas, mas também insere a indústria em um movimento crucial em direção a um futuro global verdadeiramente sustentável.

Conectando pessoas e negócios

No cenário atual, muito mais do que simplesmente mover mercadorias de um ponto a outro, a logística é a teia que conecta pessoas, empresas e mercados.

Por meio de uma rede robusta de conexões, o setor logístico tem a capacidade de movimentar bens e serviços com agilidade e segurança.

A integração de fluxos logísticos, como inbound e outbound, possibilita uma sincronização precisa de todas as etapas do processo, otimizando a movimentação de cargas e reduzindo prazos de entrega.

Entretanto, nenhuma transformação logística seria possível sem as pessoas por trás de todas as atividades. Empresas que reconhecem a importância de seus colaboradores e investem em um ambiente de trabalho positivo são mais propensas a alcançar o sucesso.

Valorizar pessoas reflete o compromisso de uma empresa com seus colaboradores, clientes e parceiros. Afinal, são as pessoas que, juntas, impulsionam a inovação e o crescimento sustentável.

Do armazém ao destino

Por fim, o investimento em pessoas, integrações e tecnologia passa de um diferencial para uma necessidade básica das empresas que pensam e constroem o futuro da logística. São estes pontos-chave que estão moldando o futuro do setor.

Do armazém ao destino final, cada etapa da cadeia de suprimentos se beneficia dessa transformação, criando uma rede interconectada que impulsiona o crescimento econômico, rápido, seguro e sustentável.

E se você se interessa por este tema, saiba que nos dias 29 e 30 de agosto estarei no evento Logística do Futuro,  em São Paulo, para compartilhar insights sobre como a G2L tem se destacado nesse cenário de inovação e integração.

Juntos, estamos trilhando um caminho que une tecnologia e expertise humana para otimizar a logística e conectar pessoas e negócios em todo o Brasil. Venha fazer parte deste momento especial.

E qual a sua opinião sobre esse assunto? Interaja conosco nas redes e acompanhe nossos outros conteúdos. Estamos nas principais mídias sociais, sempre como @logisticag2l!  

Se você gostou desta publicação, compartilhe para que mais pessoas possam ver! 

 

Torre de Controle: a chave para a segurança e eficiência do transporte

O transporte de cargas é uma atividade essencial para a economia, responsável por movimentar produtos e mercadorias por todo o mundo. 

No entanto, sua operação exige um alto nível de organização e eficiência para garantir a segurança e o cumprimento dos prazos de entrega.  

É aí que entra a Torre de Controle Logística, um elemento crucial no sistema de transporte de cargas. 

Neste post, vamos entender melhor o papel da Torre de Controle na previsão de demanda e na tomada de decisões estratégicas em tempo real. 

O que é uma Torre de Controle Logística? 

A Torre de Controle Logística é um centro de controle que recebe informações em tempo real, responsável por monitorar e coordenar o transporte de cargas, desde a origem até o destino final. 

Ela permite a visibilidade e o acesso à informação crítica sobre o desempenho da frota, incluindo dados de localização, tempo de viagem, consumo de combustível, manutenção do veículo e muito mais. 

A partir dessas informações, a empresa pode tomar decisões estratégicas para garantir a segurança das cargas e a eficiência do transporte. 

A importância da Torre de Controle para a segurança e eficiência do transporte 

A segurança do transporte de cargas é uma preocupação constante e a Torre de Controle tem um papel fundamental nesse sentido, pois monitora a localização e as condições das cargas em tempo real. 

Os dados da Torre permitem às empresas tomar decisões estratégicas de forma rápida e assertiva, ajustando suas operações à medida que a situação muda, contornando problemas e evitando riscos. 

Além da segurança, a Torre de Controle contribui com maior eficiência para o transporte ao permitir a previsão da demanda e a otimização da rota dos veículos. 

O transporte de cargas é um setor dinâmico, sujeito a imprevistos e mudanças constantes. E com base nas informações recebidas, essa tecnologia permite que as empresas possam reajustar suas rotas, escolher o caminho mais rápido, minimizar o impacto na entrega da carga e manter a satisfação do cliente. 

Com base no que vimos neste post, fica claro que a Torre de Controle Logística é um elemento essencial para a segurança e eficiência do transporte de cargas.  

Com sua capacidade de monitoramento em tempo real, previsão de demanda, otimização de rotas, tomada de decisões estratégicas em tempo real e redução de custos, ela se torna uma ferramenta valiosa para as empresas que desejam maximizar sua eficiência e minimizar os riscos envolvidos no transporte de cargas, como já mencionamos aqui no Blog G2L. 

A implementação de uma Torre de Controle Logística é um investimento que gera benefícios a longo prazo e que podem ser cruciais para o sucesso das operações de transporte de uma empresa. 

Acompanhe nossos conteúdos nas redes sociais, sempre como @logisticag2l, e entre em contato para saber mais sobre como podemos ajudar sua empresa a maximizar sua eficiência no transporte de cargas. E não se esqueça de compartilhar esse post com seus colegas de trabalho! 

Tecnologias que melhoram a segurança no transporte de cargas

A segurança é um dos principais desafios enfrentados pelas empresas de transporte de cargas. Afinal, elas precisam garantir que seus produtos cheguem ao destino final de maneira segura e eficiente, sem colocar em risco a vida dos motoristas e demais profissionais envolvidos, bem como a dos usuários das vias públicas. 

Além disso, a segurança é fundamental para evitar prejuízos financeiros decorrentes de danos às mercadorias ou atrasos na entrega. 

Nesse sentido, as tecnologias têm se mostrado grandes aliadas do setor de transporte de cargas, principalmente na função de gerenciar riscos.

Além das câmeras de segurança que ajudam a monitorar e prevenir problemas como roubo e furto de cargas, elas também desempenham um papel importante na segurança dos motoristas.  

Por exemplo, essas câmeras podem identificar se o motorista está cansado, sonolento ou desatento, como quando está usando o celular, proporcionando uma maneira de intervir a tempo e evitar acidentes.  

Além disso, as tecnologias oferecem recursos como controle de jornada por meio de tecnologia de rastreamento, garantindo o cumprimento das regulamentações trabalhistas.  

Outra tecnologia essencial é a Telemetria, que permite identificar a performance durante a condução do veículo. Isso auxilia na redução de custos com combustível e manutenção preventiva, ao fornecer dados precisos sobre o consumo de combustível e o estado do veículo.  

Essas soluções tecnológicas têm se mostrado indispensáveis para melhorar a segurança, a eficiência e a economia do transporte de cargas. Elas permitem que as empresas monitorem, controlem e otimizem o transporte de mercadorias, reduzindo riscos e aumentando a eficiência do processo. 

Por isso, separamos alguns exemplos para você: 

Tecnologias que melhoram a segurança no transporte de cargas 

  1. Rastreamento em tempo real: É possível monitorar em tempo real a localização dos veículos e das cargas, garantindo a segurança durante todo o trajeto. Assim, é possível tomar decisões rápidas e evitar rotas que possam apresentar maior risco.
  2. Sistemas de freios inteligentes: Sistemas de freios inteligentes ajudam a prevenir acidentes nas estradas, aumentando a segurança do transporte. Eles utilizam sensores que detectam quando o veículo está próximo de colidir com outro veículo ou obstáculo e acionam automaticamente os freios, evitando acidentes graves. 
  3. Câmeras de segurança: Câmeras de segurança ajudam a monitorar e prevenir eventuais problemas, como roubo e furto de cargas. Elas fornecem imagens em tempo real que podem ser utilizadas para identificar criminosos e recuperar cargas roubadas. 
  4. Veículos autônomos: A tecnologia de veículos autônomos promete revolucionar o transporte de cargas, aumentando a segurança e eficiência do setor. Essa tecnologia tem o potencial de aumentar a segurança e a eficiência do setor, uma vez que elimina a possibilidade de erro humano. Além disso, os veículos autônomos podem ser programados para seguir rotas mais seguras e eficientes, economizando tempo e dinheiro para as empresas. 

Por que é importante 

Com soluções mais seguras e eficazes, é possível realizar transportes mais rápidos, seguros e eficientes, garantindo a satisfação dos clientes e a competitividade das empresas. Veja abaixo alguns exemplos da sua importância no dia a dia: 

  1. Segurança das cargas: As tecnologias melhoram a segurança das cargas, garantindo que elas cheguem ao destino de forma segura e sem danos. 
  2. Segurança de motoristas e outros profissionais envolvidos: Além disso, as tecnologias ajudam a garantir que motoristas e outros profissionais envolvidos voltem em segurança para suas casas, prevenindo acidentes e garantindo a integridade física desses profissionais. 
  3. Eficiência do setor: Por fim, as tecnologias melhoram a eficiência do setor, garantindo a realização de transportes mais rápidos, seguros e otimizados. Consequentemente, reduzem custos e se tornam mais competitivas no mercado.  

Em resumo, a implementação dessas tecnologias não apenas melhora a segurança no transporte de cargas, mas também aumenta a eficiência do setor.  

Por isso, é importante que as empresas invistam cada vez mais em tecnologias para garantir a segurança no transporte de cargas. 

Na G2L Logística, estamos comprometidos em fornecer soluções inovadoras e seguras para nossos clientes. Acompanhe nossos conteúdos nas redes sociais, sempre como @logisticag2l, e fique por dentro das novidades do setor.  

Compartilhe esse post com seus colegas de trabalho e ajude a promover a segurança no transporte de cargas. 

Inteligência Artificial como aliada para melhoria dos processos Logísticos

Por Stenio Soares | 

A logística é uma das áreas mais importantes para as empresas, responsável por garantir que produtos e serviços sejam entregues aos clientes no tempo certo e com qualidade. Com o avanço da tecnologia, a inteligência artificial (IA) tem se tornado uma aliada poderosa na otimização dos processos logísticos. 

A IA é uma tecnologia que utiliza algoritmos e modelos matemáticos para realizar tarefas que normalmente exigiriam a intervenção humana, como análise de dados, identificação de padrões e tomada de decisões. Na logística, a IA pode ser aplicada em várias áreas, como gestão de estoque, roteirização, previsão de demanda e monitoramento de veículos. 

Um dos principais benefícios da IA para a logística é a redução de custos e a melhoria da eficiência operacional. Com a análise de dados em tempo real, é possível identificar gargalos e problemas na cadeia de suprimentos, permitindo que a empresa tome decisões mais precisas e rápidas para corrigi-los. Isso pode resultar em uma redução significativa de custos e tempo de entrega, além de melhorar a experiência do cliente. 

Outra área em que a IA pode ser aplicada é na roteirização de entregas. Com algoritmos de otimização de rotas, é possível encontrar a melhor combinação de veículos e destinos para reduzir o tempo de entrega e os custos de transporte. Além disso, a IA pode ajudar a prever a demanda futura de produtos, permitindo que a empresa ajuste seus estoques de forma mais eficiente e evite a falta de produtos ou o excesso de estoque. 

A IA também pode ser aplicada no monitoramento de veículos e na identificação de possíveis problemas, como avarias mecânicas ou acidentes. Com sensores e dispositivos de Inteligência Artificial é possível coletar dados em tempo real sobre o desempenho dos veículos, garantindo a segurança dos motoristas e dos produtos transportados. 

Por fim, essa tecnologia pode ajudar as empresas a se adaptarem mais rapidamente às mudanças no mercado e às demandas dos clientes. Com a análise de dados e a identificação de padrões de consumo, é possível antecipar tendências e tomar decisões mais estratégicas em relação à oferta de produtos e serviços. 

As empresas que investem em IA na logística podem ganhar uma vantagem competitiva significativa e melhorar a experiência do cliente.

E qual a sua opinião sobre esse assunto? Interaja conosco nas redes e acompanhe nossos outros conteúdos. Estamos nas principais mídias sociais, sempre como @logisticag2l!  

Se você gostou desta publicação, compartilhe para que mais pessoas possam ver! 

 

Como a tecnologia pode ajudar na economia de combustível?

Por redação |

O transporte de cargas é fundamental para o sucesso da economia brasileira e para o desempenho das empresas logísticas. Ele permite a circulação de bens e serviços, o que contribui para o abastecimento das regiões, o crescimento econômico e a geração de empregos. 

No entanto, sem um transporte de cargas eficiente, as empresas não poderiam entregar seus produtos aos clientes e não somente o comércio, mas toda a sociedade seria seriamente prejudicada. Desta forma, é uma parte crítica da infraestrutura econômica do país. 

E um dos grandes desafios enfrentados pelo setor são os altos preços do combustível. Isso afeta a competitividade das empresas e pode levar a aumentos significativos nos preços dos produtos transportados. 

Segundo a Associação Nacional do transporte de Carga e Logística, o combustível é um grande custo no transporte de cargas, com o diesel sendo o insumo mais usado. Em média, o diesel representa 35% do valor do frete, chegando a 50% para caminhoneiros autônomos. 

A tecnologia desempenha um papel importante nesse processo, oferecendo soluções para melhorar a eficiência energética dos veículos e otimizar as rotas de entrega. Por isso, listamos 8 exemplos de como ela está ajudando a economizar combustível no transporte de cargas. Confira abaixo! 

Otimização de custos com tecnologia 

Ao investir em tecnologias que ajudam a economizar combustível, as empresas de transporte de cargas podem melhorar sua rentabilidade e oferecer preços ainda mais competitivos para seus clientes.  

Alguns exemplos incluem sistemas de gestão de frotas que monitoram o uso de combustível em tempo real, motores mais eficientes e soluções de logística que buscam rotas mais curtas e diretas. 

A tecnologia também pode ajudar a economizar combustível em transporte de cargas de várias maneiras, como por exemplo: 

  1. Rastreamento e monitoramento em tempo real da frota: permite a identificação de rotas mais eficientes e otimização da logística para evitar desvios e desperdícios de combustível. 
  2. Controle de velocidade e gerenciamento de aceleração: ajuste de velocidade e aceleração para economizar combustível e aumentar a segurança no trânsito. 
  3. Manutenção preventiva: utilização de tecnologias como sensores e alertas para identificar problemas no veículo antes que eles causem danos graves e consumam mais combustível. 
  4. Combustível alternativo: investir em veículos movidos a energias renováveis, como a eletricidade ou gás natural, pode ajudar a reduzir os custos com combustível e aumentar a eficiência energética. Estes sistemas otimizam rotas e evitam viagens desnecessárias, resultando em menor consumo de combustível. 
  5. Cálculo de rotas e planejamento de viagens: uso de softwares de gestão de frotas que consideram fatores como tempo de viagem, tráfego e condições climáticas para planejar rotas mais eficientes. 
  6. Uso de Inteligência artificial e Machine Learning: para prever e otimizar demandas futuras de transporte de cargas, permitindo que as empresas planejem suas operações de maneira mais eficiente e economizem combustível. 
  7. Sistemas de gerenciamento de carga: permitem a otimização do espaço de carga e garante que ela seja distribuída de maneira equilibrada para minimizar o consumo de combustível. 
  8. Integrações sistêmicas alinhadas aos objetivos da empresa: otimiza o tempo e os processos para alcançar os resultados esperados pela companhia. 

 

Em resumo, vemos que a tecnologia é uma grande aliada na economia de combustível no transporte de cargas. Com as soluções descritas acima, é possível otimizar o processo logístico e reduzir custos, garantindo a eficiência e competitividade da empresa no mercado. 

Vale lembrar que estes são apenas alguns exemplos. A tendência é que a utilização de tecnologias ainda mais avançadas e sofisticadas continue a aumentar no futuro, trazendo ainda mais benefícios econômicos e ambientais para o setor.  

A implementação destas tecnologias pode ajudar a reduzir o consumo de combustível, otimizar o tempo de entrega e, consequentemente, aumentar a eficiência e rentabilidade da frota de transporte de cargas. 

E qual a sua opinião sobre esse assunto? Interaja conosco nas redes sociais e acompanhe nossos outros conteúdos. Estamos nas principais mídias, sempre como @logisticag2l!  

Se você gostou desta publicação, compartilhe para que mais pessoas possam conferir nossas publicações e seguir com a gente #NaRotaDoFuturo! 

Gestão de Riscos: solução estratégica para sua empresa

Por redação |

Prevenir possíveis ameaças é uma parte fundamental da operação de qualquer empresa, especialmente no setor logístico e de transporte de cargas. A Gestão de Riscos (GR) permite identificar potenciais problemas que possam prejudicar a sua operação e afetar a sua empresa. 

A solução inclui a identificação de riscos, análise de impactos, desenvolvimento de planos de contingência e monitoramento contínuo para garantir a eficácia das ações implementadas. 

Identificar as possíveis fontes de ameaças pode garantir eficiência, segurança e redução de custos operacionais. Mas, para isso, um bom serviço de GR precisa superar alguns desafios ainda presentes no cenário brasileiro de logística e transporte de cargas, como podemos observar abaixo.

Principais desafios 

Um dos desafios mais comuns enfrentados pelas empresas neste setor é garantir a segurança da carga durante o transporte. Problemas como roubo, perdas ou danos à mercadoria são apenas alguns dos riscos que precisam ser considerados. 

Segundo dados mais recentes da Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC&Logística), o Brasil registrou R$1,27 bilhão de prejuízo financeiro causado por roubos de carga no país. O levantamento mostra, ainda, que, dentre os alvos principais, estão: alimentos, combustíveis e produtos farmacêuticos. 

Além dos problemas com roubos, perdas e danos, fatores externos também precisam ser previstos, como condições climáticas adversas, atrasos de entrega e problemas com fornecedores. 

E quando o objetivo é identificar e mitigar essas ameaças, alguns dos principais empecilhos para um Gerenciamento de Riscos de qualidade são: 

  1. Tecnologia Obsoleta: Uma frota antiga ou sem tecnologia avançada de rastreabilidade pode dificultar o monitoramento e a gestão de riscos na logística. 
  2. Falta de Dados: A falta de dados precisos e atualizados sobre as operações logísticas pode impedir a identificação precisa dos riscos. 
  3. Comunicação Deficiente: A falta de comunicação eficaz entre as partes envolvidas pode dificultar a coordenação e a implementação de planos de contingência. 
  4. Falta de Recursos: A falta de recursos, incluindo tempo, mão de obra e orçamento, pode impedir a implementação de planos de gestão de risco mais complexos, tecnológicos e eficazes. 
  5. Conhecimento Limitado: Uma compreensão limitada sobre as questões regulatórias e de segurança pode dificultar a identificação de riscos, a avaliação das dimensões dessas ameaças e a implementação de medidas de mitigação. 

Agora que você já sabe quais são os principais desafios enfrentados, vamos destacar de que forma um GR eficiente pode agregar maior valor ao seu negócio. 

 

Gestão de Riscos como solução estratégica 

Uma das melhores maneiras de proteger sua empresa contra possíveis ameaças é investir em tecnologia avançada. Sistemas de rastreamento de cargas e equipamentos de segurança podem ser utilizados para garantir a segurança da carga durante o transporte.  

Além disso, para uma operação eficiente e segura na logística, é importante investir em automação de processos e treinamento de equipe e motoristas. A automação pode minimizar erros humanos, enquanto o treinamento em práticas seguras e gerenciamento de riscos garante que todos estejam preparados para lidar com os desafios.  

Capacitar tanto a equipe quanto os motoristas que possuem frota própria é fundamental para garantir um transporte seguro e de qualidade. Investir em instrução sobre os perigos das estradas, o uso adequado das tecnologias e as melhores práticas é crucial para a Gestão de Riscos, pois não se trata apenas de preservar o patrimônio, mas também de valorizar as vidas envolvidas.

Em resumo, investir em tecnologia, treinar sua equipe e manter um registro detalhado dos riscos são medidas importantes para garantir o sucesso da sua operação. Assim, é possível garantir maior eficiência nas seguintes atividades de GR: 

  1. Melhor Identificação de Riscos: Identificação de possíveis riscos e fontes de ameaças, incluindo questões de segurança, questões regulatórias, instabilidade política e eventos climáticos. 
  2. Análise de Riscos: Análise dos impactos potenciais desses riscos na cadeia de suprimentos e na operação da empresa. 
  3. Plano de Contingência: Desenvolvimento de um plano de contingência para lidar com riscos identificados, incluindo ações de mitigação e contingências de backup. 
  4. Monitoramento e Avaliação Contínuos: Monitoramento contínuo das ameaças e avaliação das respostas implementadas para garantir a eficácia das ações de gestão de risco. 
  5. Conformidade Regulatória: A gestão de riscos deve seguir rigorosos padrões regulatórios para garantir a conformidade com as leis e regulamentos aplicáveis. 

A Gestão de Riscos é uma solução estratégica para auxiliar na redução dos custos de transporte, garantir que as cargas chegarão em segurança no destino final e, assim, contribuir com maior credibilidade nas operações. 

E o que você acha disso? Siga a gente nas principais mídias sociais – sempre como @LogisticaG2L – e podemos conversar sobre Gestão de Riscos. 

Se você gostou desta publicação, compartilhe para que mais pessoas possam conferir nossas publicações! 

Logística integrada: solução para os principais desafios do setor

Por Redação | 

A premissa fundamental da logística, em uma visão bem simples e resumida, é levar algo do ponto A ao ponto B, certo? Em resumo, o objetivo é entregar o produto correto, no tempo certo, da melhor maneira possível e gerando apenas os custos necessários. 

Pode parecer simples, mas, ao realizar esta tarefa, é preciso se preocupar com uma série de fatores durante todo o processo, como por exemplo, garantir a segurança das operações e cumprir os prazos de entrega. 

Fluxos demorados e burocráticos, assim como problemas de infraestrutura, ainda são presentes no Brasil e impactam muitas empresas. Assim, a logística integrada surge como solução para otimizar o dia a dia das operações e torná-las mais rápidas e eficientes.  

Então, antes de falarmos mais sobre ela, primeiro precisamos entender o cenário de investimento em transporte e infraestrutura em nosso país. 

Infraestrutura brasileira e desafios 

O Brasil tem o transporte rodoviário como seu principal modal. Hoje, mais de 60% das movimentações de cargas são feitas por caminhões. Dados do Ministério da Infraestrutura apontam que, nos Estado Unidos, para efeito de comparação, apenas 32% são realizadas por este modal. 

E apesar do claro impacto na economia brasileira, dos mais de 1.7 milhões de quilômetros de rodovias no país, apenas 12,4% é pavimentada – e apenas 9,1% foi planejada, de acordo com o Anuário CNT do Transporte (2022). 

O baixo investimento em infraestrutura no Brasil fica evidente ao compararmos com a média global. Enquanto os demais países aplicam 4% do PIB à infraestrutura, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) revela que o Brasil destina, proporcionalmente, a metade deste valor (2%). 

Nosso custo logístico é consideravelmente superior ao de outros países, como por exemplo os Estados Unidos e China. Muito disso por conta da dependência do modal rodoviário e o baixo investimento em tecnologias com foco na melhoria de processos.  

Dos 12,7% gastos com logística, 6,8% são apenas para o transporte, como mostram dados da Confederação Nacional do Transporte. Além disso, a logística no Brasil também enfrenta outros desafios: 

 

Diante deste cenário, a Logística Integrada surge como uma importante alternativa para o setor. Por isso, é importante entender sua origem, principais características e vantagens. 

O que é logística integrada? 

Em constante evolução, o mercado logístico é um ambiente extremamente concorrido e, por isso, todos os dias as empresas buscam novas formas de se tornarem mais competitivas. 

A Logística Integrada nasce na década de 1980, a partir do objetivo em oferecer inteligência, monitoramento e melhor gestão de fluxos. Assim, as companhias do setor deixaram de focar única e exclusivamente em uma atuação operacional e passaram a investir em soluções mais abrangentes.  

Explicando em termos simples, a logística integrada envolve a interação entre todos os processos da cadeia de suprimentos. Dessa forma, a empresa obtém um gerenciamento efetivo, amplo e de alto desempenho. Uma das principais bases da logística integrada são as ferramentas tecnológicas.

A Logística Integrada pode atuar em diferentes áreas, sendo elas: 

  • Fluxo dos Materiais
  • Transporte 
  • Armazenagem  
  • Distribuição 
  • Operações 3PL, 4PL, 5PL 

Ou seja, a partir da tecnologia, ela conecta todo o processo logístico, desde a origem da matéria-prima, fabricação dos produtos, até a sua distribuição de maneira ágil e eficiente para o consumidor final. 

A logística integrada pode não ser a solução definitiva para suprir a infraestrutura precária no país ou substituir a necessidade de mais investimentos. No entanto, permite que empresas busquem novas possibilidades e, desta forma, os desafios do setor são superados – ou ao menos, minimizados – por um modelo logístico mais inteligente, flexível e autônomo. 

Agora que você já conhece um pouco mais sobre Logística Integrada e os desafios que precisamos superar, que tal conversarmos sobre esse tema em nossas redes sociais? Interaja conosco e acompanhe nossos outros conteúdos, sempre como @logisticag2l! 

Se você gostou desta publicação, compartilhe em suas redes para que mais pessoas possam conferir nossas publicações e seguir com a gente #NaRotaDoFuturo!